O BAILE DA MORTE VERMELHA - 1842














Olá pessoal, tudo bem? Mais um conto da série Edgar Allan Poe aqui no blog, o último do grupo de contos denominado Espectro da Morte. Esse é um conto super curto, que vou tentar resumir aqui.

À época em que se passa a história, uma doença implacável assolava o reino: a Morte Vermelha. Tinha esse nome pois provocava dores agudas, tonturas repentinas e, por fim, um profusa hemorragia, com manchas vermelhas pelo corpo, sobretudo no rosto. O ataque, sua evolução e o fim duravam apenas meia hora.

Desse modo, após metade da população de seus domínios ter sido dizimada, o príncipe do local decide chamar mil amigos sadios da corte, incluindo ele próprio, e isolá-los em um castelo extremamente fortificado, a fim de que não se contaminassem. O local estava bem abastecido de comida e bebida e poderiam viver confortavelmente, enquanto a doença se disseminava lá fora.




Até aqui, vemos o desprezo com que o príncipe trata a população de seu reino, aparentemente achando que ali estaria totalmente seguro contra a morte. Não bastasse essa tremenda demonstração de egoísmo, ele organiza um baile de máscaras onde cria fantasias que misturam sonho e pesadelo. Conforme o conto se desenrola, tomamos conhecimento da loucura desse príncipe, notando que ele é realmente feliz naquela fortaleza, esquecendo totalmente à população do lado de fora.

Não posso contar mais nada porque seria spoiler, pois o conto é bem curtinho e não teria como não contar tudo aqui, mas ao final a justiça é feita. Abaixo temos a primeira parte de uma narrativa do conto, que está com outro nome, A Máscara da Morte Rubra. Ainda não pesquisei o porquê dessa mudança no nome do conto nessa edição da Darkside, mas volto aqui para editar a postagem e explicar a vocês. Essa é a parte 1, portanto não tem o final da história...



Beijos e até o próximo conto!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Ice Twins
AUTOR: S. K. Tremayne
GÊNERO: Suspense/Thriller
EDITORA: Bertrand Brasil
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 368

SINOPSE: Um ano depois de Lydia, uma de suas filhas gêmeas idênticas, morrer em um acidente, Angus se muda com sua mulher, Sarah Moorcroft, para a pequena ilha escocesa que ele herdou da avó, na esperança de conseguirem juntar os pedaços de suas vidas destroçadas.
Mas quando sua filha sobrevivente, Kirstie, afirma que eles estão confundindo sua identidade - que ela é, na verdade, Lydia - o mundo do casal desaba mais uma vez.
O inverno chega, Sarah se sente sozinha, e Kirstie (ou será Lydia?) fica cada vez mais abalada. Quando uma violenta tempestade deixa mãe e filha confinadas naquela ilha, Sarah é torturada pelo passado - o que realmente aconteceu naquele dia fatídico em que uma de suas filhas morreu?


Olá pessoal! Hoje trago um mega thriller psicológico, totalmente assustador e arrebatador! Ganhei esse livro na troca do desapego que fiz com minhas amigas leitoras (veja o post aqui) e descobri que foi um mega presente! Depois de Eu Estou Pensando Em Acabar Com Tudo, esse passa a ser meu thriller psicológico preferido. Muita tensão e muita loucura nessa história, e aquele toque sobrenatural. Você passa o tempo todo com uma dúvida e ela ainda permanece no final do livro. Ainda estou atordoada tentando absorver o final dessa história.

Uma tragédia abalou a vida de Sarah e Angus Moorcroft: uma de suas filhas gêmeas, Lydia, morreu em um acidente e o abalo na família foi grande, principalmente na irmã que sobreviveu, Kirstie. Agora, 14 meses depois do ocorrido, eles decidem se mudar para uma ilha escocesa herdada por Angus, na tentativa de reconstruir suas vidas. Entretanto Kirstie começa a afirmar que ela é Lydia e que foi Kirstie que morreu. Será que eles cometeram esse terrível erro?

Do início ao fim a tensão toma conta do leitor. Todo o jogo psicológico tramado pelo autor, a possível dupla identidade da gêmea sobrevivente, o mistério que envolve a morte de Lydia, não deixa você largar o livro. Eu só não li em um dia porque voltei a trabalhar e meu tempo para leitura está escasso.




O autor aborda um caso familiar complexo, demonstrando bem a diferença entre os cônjuges alternando os capítulos com narrativas de Sarah, Angus e ainda uma terceira pessoa, mas sob a perspectiva de Angus. Demonstra muito bem e detalhadamente os sentimentos de um para com o outro.

Achei bem perturbadora a confusão de personalidade da gêmea sobrevivente, Kirstie. O tempo todo eu me confundia pensando na possibilidade de que realmente o casal confundira a criança morta. Na realidade, é difícil saber em qual personagem confiar.

Para quem procura um thriller de ritmo alucinado, esse livro é perfeito. O final é pesado mas arrebatador. Todas as peças foram cuidadosamente conectadas. O autor fechou a história perfeitamente. Livro mais do que recomendado!!!!

Beijos e até a próxima!!!!!



TÍTULO ORIGINAL: Reignited
AUTORA: Colleen Houck
GÊNERO: Fantasia
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 112

SINOPSE: Quem são os deuses que regem os caminhos e descaminhos de Amon e Lily, os corajosos heróis da série Deuses do Egito? Por que esses deuses tramam conquistas e vinganças, envolvendo a humanidade em suas maquinações? E por que deixam nos ombros de alguns jovens mortais a responsabilidade pela salvação do mundo?
Antes que Lily e Amon se encontrassem, antes mesmo que o caos dominasse o cosmos e os deuses precisassem de três irmãos corajosos para combater o mal, muita coisa já estava em jogo. Em O duelo dos imortais, vamos conhecer a história dos quatro irmãos que assistiam, com seus poderes especiais, o grande Amon-Rá no governo da Terra:
Osíris, o generoso deus da agricultura, que ajuda os mortais a crescer e prosperar em seu ambiente natural.
Ísis, a linda deusa da criação, que promove a saúde e o bem-estar.
Néftis, a doce vidente, que mantém o equilíbrio entre os seres vivos e o universo.
E por último, Seth, o mais jovem, que cresceu desprovido de poderes e desprezado por todos.
Quando, finalmente, os poderes de Seth se manifestam, que efeito sobre a humanidade terá a perigosa mistura de uma infância marcada pela rejeição, uma intensa paixão não correspondida e o incrível poder de desfazer as coisas, pessoas... e até deuses?
Romance, traição e vingança são os fios que tecem esta trama surpreendente, cujos personagens imortais despertam em nós os mais profundos sentimentos.


Olá pessoal, como estão! Trago hoje O Duelo dos Imortais como leitura pelo desafio do Clube do Livro 2017, organizado pelo blog Garota do 330. O tema do mês é um livro que te lembre férias.... tá, eu sei que não tem nada a ver mas nesse mês percebi que não tenho na estante nenhum livro que me lembre férias kkkkkkkk. Então escolhi esse porque é bem curtinho (sei que essa explicação também não tem nada a ver). Mas bora lá!!!!

O livro conta a história que envolve os deuses Amon Rá e os irmãos Néftis, Seth, Ísis e Osíris. A história é centralizada na ira de Seth por Osíris, por ele ter se casado com a sua amada, e também por seu sentimento de rejeição e necessidade de reconhecimento, por ser sempre o retardatário. Quando ele toma conhecimento de seu poder, espalha fúria e destruição pelo mundo dos imortais e dos mortais, com o objetivo de ter sua mulher amada.




Esse precursor da série Deuses do Egito veio, no meu entender, para explicar o porque de os três irmãos deuses (Amon, Asten e Ahmose) terem sido enviados para salvar o mundo e o motivo da fúria de Seth. Achei coerente mas poderia ser dispensável. A história é curtinha, super rápida de ler, e cheia de sentimentos intensos porém não tem a ação dos outros dois livros da série: O Despertar do Príncipe e O Coração da Esfinge.

Recomendo a leitura para quem está acompanhando a série mas ela não é imprescindível.

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: Murder on the Orient Express
AUTORA: Agatha Christie
GÊNERO: Suspense/Policial
EDITORA: E-book de Exilado dos Livros
ANO DE LANÇAMENTO: dessa edição eu não sei mas o livro é de 1934
NÚMERO DE PÁGINAS: 200 (livro físico)

SINOPSE: Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.


Oi pessoal! Agatha Christie de novo???? Sim!!!!! Decidi ler esse clássico devido ao filme que será lançado esse ano! Não assisti nem à versão de 1974, nem à de 2001 e nem à de 2010 mas pretendo ver alguma delas antes de ir ao cinema esse ano. Bora comentar sobre o meu novo vício...

Como lidar com uma descoberta de assassinato, em um local isolado no meio de uma nevasca? É amedrontador não? Esse clima criado pela autora foi imprescindível para o desenrolar dessa trama. Não tem como não se envolver e ficar criando teorias para a solução do caso (eu formei algumas mas, claro, todas furadas kkkk). Assim como em E Não Sobrou Nenhum, nessa obra o leitor se torna detetive. Tentar descobrir o assassino dentre o grande número de personagens, ponto comum nas 3 obras que li de Agatha, prende o leitor até o final, tanto que li metade do livro em um só dia, madrugada adentro.


(Não estranhem a data, é que eu terminei a leitura em 23/07)

Para fechar, o final foi surpreendente (pelo menos para mim) e só é revelado nas últimas páginas. Admiro muito Hercule Poirot, eita cara inteligente!!!!

Leitura mais do que recomendada! Vejam o trailer do filme que estreará em novembro de 2017!




Beijos e até a próxima!!!!



Olá pessoal! Hoje venho com uma super dica, que eu amei de paixão pois eu, já há algum tempo, queria ter um contato com alguma editora. A Editora Selo Jovem abriu inscrições para blogs que querem ser "amigos" da editora. Se você se interessar, acesse aqui para ter mais informações de como participar.







A selo Jovem atualmente é uma empresa independente, atua no mercado do livro desde 2013 e já possuí gráfica própria, distribuição própria, salão comercial próprio, tornando-se rapidamente uma editora com base sólida e confiável. O catálogo conta com mais de 50 títulos publicados, entre eles dois livros em destaque com o selo best seller.

O objetivo da Selo jovem é publicar obras com 100% de qualidade literária, sem pressa e trabalhando duro na revisão dos textos. Contam com ótimos profissionais desde; diagramadores, revisores, capistas, design e uma gráfica de qualidade.


A selo jovem foi fundada no mês de Março 2013, preparados para ingressar nesse mercado deram os primeiros passos e publicaram seus primeiros livros. Como toda empresa estreante tiveram problemas com preços, qualidade, e prazos. Mas jamais desistiram e continuaram trabalhando a fim de ganhar experiência e amadurecer a cada dia.


Hoje contam com 50 títulos publicados. Recentemente adquiriram gráfica própria e passaram a produzir os livros internamente. Seus profissionais obtiveram experiência e aprenderam a trabalhar de maneira simples e objetiva, estão constantemente contratando profissionais na área de revisão e buscando por novos trabalhadores nas áreas de marketing e traduções.


Além de um quadro profissional totalmente renovado, firmaram contrato com os correios e seus títulos recebem frete fixo para todo o território nacional. Seus livros possuem a mesma qualidade de outras editoras, todos os livros são costurados e colados, no papel pólen bold e soft, as capas são impressas em papel supremo e cartão triplex. Atualmente publicam livros nas medidas 14 x 21 cm, 16 x 23 cm e 12x 17 cm.


Apesar de novos no mercado São conhecedores das dificuldades encontradas no Brasil, tanto para escritor e Editor.




Eu já entrei nessa e espero que seja uma boa parceria! Participem!

A QUEDA DA CASA DE USHER - 1839














Olá pessoal! Hoje trouxe o segundo conto da obra de Edgar Allan Poe lançada pela Darkside, do grupo de contos "Espectro da Morte", dando continuidade à série de postagens sobre esse autor. Decidi que essa será uma coluna dominical aqui no APL, portanto, todos os domingos terá um novo conto de Poe a ser descoberto. ;)

O conto é narrado pelo protagonista (sem nome) que vai visitar seu amigo de infância, Roderick Usher, atendendo a seu chamado urgente, e já se sente angustiado só em aproximar-se da casa. Ao encontrá-lo, verifica o estado perturbador de seu amigo que admite que se encontra desse modo devido à grave doença, na verdade, à morte iminente, de sua irmã, Madeline, que vive com ele na casa.

Ele passa alguns dias nessa atmosfera tensa, tentando consolar e distrair o amigo à melhor maneira, até que, certo dia, recebe a notícia de que lady Madeline falecera. Então, o irmão decide preservar o cadáver da irmã por duas semanas antes do enterro propriamente dito, por força da natureza incomum de sua doença (leiam o conto para saber qual é a doença... rs).





Daí para frente eu fiquei bem aterrorizada com os acontecimentos. E o protagonista também...rsrsrs. No primeiro conto, eu fiquei agoniada pela situação do condenado à morte, mas nesse, fiquei realmente perturbada. Poe conseguiu me deixar apavorada! O final tem tudo a ver com o título do conto. Leiam!!!!

Beijos e até o próximo!











Olá pessoal! Aqui também tem a TAG 50% para mostrar a quantas andam as minhas leituras em 2017. Vamos lá!

1. O melhor livro que li até agora


Melhor thriller psicológico da minha vida! Resenha aqui


2. A melhor continuação que li até agora


Não que seja a melhor mas foi a única desse ano. Resenha aqui.


3. Algum lançamento do primeiro semestre que não leu, mas quer muito


Estou bem curiosa por esse.


4. Livro mais aguardado do segundo semestre


Dan Brown maravilhoso! Ansiosíssima!!!


5. O livro que mais te decepcionou em 2017 (até agora)


Maior decepção de 2017. Esperava muito e não tive nada. Resenha aqui.


6. O livro que mais te surpreendeu (até agora)


Vou colocá-lo nesse quesito também. Leiam esse livro, por favor!


7. Novo autor favorito

Iain Reid, autor do livro acima. Não preciso explicar.


8. Sua quedinha por personagem fictício mais recente

Esse ano ainda não caí de amores por nenhum personagem ainda rsrsrs


9. Seu personagem favorito mais recente

Ada, de A Guerra Que Salvou a Minha Vida. Resenha aqui.


10. Um livro que me deixou feliz


Me deixou feliz porque é MUITO BOM! Resenha aqui.


11. Livro que me fez chorar


Lindo demais! Resenha aqui.


12. Melhor adaptação cinematográfica até aqui


Repeteco, lógico!


13. Sua resenha favorita do primeiro semestre




14. O livro mais bonito que você comprou/ganhou


Esse livro é MA-RA-VI-LHO-SO!


15. Livro que preciso ler até o final do ano


Coloquei como meta até o fim do ano. São mais de 1000 páginas então tenho que tomar coragem...


Espero que tenham gostado! Fiquem à vontade para responder!

Beijos e até a próxima!!!!



Categorias:



Olá pessoal! Tudo certo? Continuando com o projeto Escrevendo Sem Medo, criado pelo blog Historiar, cujo tema de julho é:

O que há de errado com a humanidade?
Momento para você expor aquilo que observamos com frequência hoje em dia e que faz seu coração chorar. Você pode expor um problema ou vários, a escolha é sua.




Conforme o tempo avança, o que se espera é que as pessoas evoluam, aprendam cada vez mais com os erros, e que não os cometam duas vezes. Entretanto, infelizmente, não é o que tenho visto. Estamos em 2017 e o que vejo é que a humanidade não evoluiu nem um pouco. Não estou me referindo à evolução tecnológica, mas sim à evolução de caráter.

A exemplo, os políticos brasileiros. Desde sempre na história do nosso país eles são corruptos, não existe ética e nem preocupação com o povo ou com o país, pois só pensam no próprio benefício. As pessoas estão cada vez mais violentas, egoístas, individualistas. Não se respeita o próximo.

Tenho medo do mundo que espera meu filho daqui a 10 anos, quando ele se tornará um adulto e terá que enfrentar tudo isso. E isso faz meu coração chorar de agonia e preocupação. O que me faz acalmar um pouco é saber que apesar de tudo que anda acontecendo nesse mundo, ainda existem pessoas boas, com boa índole e bom caráter, e é nelas que devemos plantar a semente da esperança, por um mundo melhor e, é claro, fazermos a nossa parte, orientando nossos filhos sempre para o bem.




Olá pessoal! E eu fiquei doida quando vi que vai estrear em 31 de agosto de 2017, Amityville, O Despertar!!!! Não assisti o filme com a história original mas li o livro e achei assustador! Nunca um livro tinha me deixado realmente com medo! Vejam a resenha dele aqui: Amityville

Abaixo está o trailer do filme e acima, o poster. Vou querer com certeza!



Beijos e até a próxima!!!!


O POÇO E O PÊNDULO - 1842















Olá pessoal, tudo bem? Recentemente comprei o livro maravilhoso da Darkside Edgar Allan Poe: Medo Clássico - Volume 1, que contem 16 contos do autor, além de uma introdução da própria editora escrita por Márcia Heloísa e outra escrita por Charles Baudelaire, em 1852. Essas introduções contam um pouco sobre a vida de Edgar e a influência de suas obras. Para mim vai ser um belo desafio, pois acho bem difícil ler esses clássicos do século XIX, por causa do linguajar complexo.

Filho de atores de teatro, Edgar Allan Poe nasceu em Boston no dia 19 de janeiro de 1809. Depois de ter sido abandonado pelo pai com apenas um ano de idade, perdeu a mãe para a tuberculose no ano seguinte. Separado de seus dois irmãos foi criado por Frances e John Allan. Casou-se com a prima, Virgínia Clemm, quem perdeu com 24 anos, também para a tuberculose. É... não deve ter sido uma vida fácil. Morreu aos 40 anos, dois após a morte da esposa.

Pretendo, conforme for lendo os contos (coisa que farei em paralelo a outras leituras), ir publicando resenhas aqui de cada um, sob a TAG #Edgar Allan Poe: Medo Clássico. 




O primeiro conto, inserido no grupo de contos denominado "Espectro da Morte", é O Poço e o Pêndulo, de 1842, e conta a história de um condenado no período da Inquisição na Espanha (Toledo). Ele está preso à espera da morte, trancado em um local que, a princípio, não consegue identificar. Com o passar do tempo, ele vai descobrindo o local onde está preso e experimenta métodos de tortura. Ao ler o conto, o leitor sente toda a agonia do condenado, sua dor e desespero. Não é falado, em momento algum, quem é o condenado nem qual foi seu crime. O centro do conto é realmente o horror das sensações de tortura e da aproximação da morte. Não dá para alongar muito a conversa pois esbarraria em um spoiler facilmente. Eu fiquei bem agoniada ao ler esse conto.

E aí, gostaram? Em breve trarei mais um conto de Poe para vocês, e aos poucos vou falando sobre a experiência de ler esse clássico!

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: Darkest Fear
AUTOR: Harlan Coben
GÊNERO: Suspense
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 272

SINOPSE: Na época da faculdade, Myron Bolitar  teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma dolorosa quando a namorada o trocou por seu maior adversário no basquete. Por isso, a última pessoa no mundo que Myron deseja rever é Emily Downing.
Assim, ele tem uma grande surpresa quando, anos depois, ela aparece suplicando ajuda. Seu filho de 13 anos, Jeremy, está morrendo e precisa de um transplante de medula óssea - de um doador que sumiu sem deixar vestígios. E a revelação seguinte é ainda mais importante: Myron é o pai do garoto.
Aturdido com a notícia, Myron dá início a uma busca pelo doador. Encontrá-lo, contudo, significa desvendar um mistério sombrio que envolve uma família inescrupulosa, uma série de sequestros e um jornalista em desgraça.
Nesse jogo de verdades dolorosas, Myron terá que descobrir uma forma de não perder o filho com quem sequer teve a chance de conviver.

Olá pessoal, tudo bem? Esse é o segundo livro que leio da série Myron Bolitar, o ex-jogador de basquete que teve sua carreira encerrada por um acidente e hoje é proprietário de uma agência de representação esportiva, que vai de mal a pior.

Sua ex-namorada, Emily, o procura para ajudá-la a salvar seu filho, Jeremy, que está com uma doença rara e só um transplante de medula óssea pode salvá-lo. Já existe um doador compatível mas ele simplesmente sumiu... Emily, ao revelar a Myron que Jeremy é seu filho, faz com que aquele não seja um simples pedido da ex que nunca mais gostaria de ver, e sim seu maior objetivo naquele instante.




A busca pelo doador desaparecido envolve uma família poderosa que pode acabar com Myron por isso conta com a ajuda de seu inseparável amigo Win e suas companheiras de trabalho, Esperanza e Big Cindy.

É um suspense cheio de ação, muito bem construído e com muita emoção, assim como em Detalhe Final, o outro livro da série que li. Como sempre, os diálogos entre Myron e Win são cheios de humor. Definitivamente essa dupla de amigos é muito divertida. A história prende mas não é tão eletrizante quanto outro livros fora dessa série. Cilada, Não Conte a Ninguém, são livros bem mais instigantes... Contudo, é um bom entretenimento.

Beijos e até a próxima!!!

Olá pessoal! Estão todos bem? Hoje vou sair um pouco das resenhas e projetos e escrever sobre minha primeira experiência de desapego. Nós leitores, amantes dos livros, sabemos bem que somos incorrigíveis no quesito promessa de não comprar mais livros ou "só vou comprar quando terminar de ler os que estão na estante". Tudo balela. A gente vê uma promoção e já está lá com pelo menos um na mão. Que atire a primeira pedra quem não foi à falência com o Amazon Day essa semana... rsrsrs... e assim vamos acumulando livros até não poder mais.

Então, percebendo que minha estante estava uma bagunça só, e que não cabia mais nada nela, decidi fazer uma limpa. Sim, peguei os livros que não gostei tanto assim, os que não pretendo reler ou que não tem valor sentimental e TIREI DA ESTANTE! Foi um alívio! E ela ficou bem mais organizada e com espaço para novos livros!!!!

E o que me deixou mais contente foi que fiz os coraçõezinhos das minhas amigas mais felizes! Dei vários, aliás, trocamos porque elas fizeram o mesmo e acabamos ficando com os livros umas das outras. Ganhei livro maravilhosos, esses que estão na foto!




Os que elas não quiseram, vou doar para uma biblioteca aqui do meu condomínio. Estou me sentindo muito bem com essa atitude!

E vocês, já fizeram um "rapa" na estante de vocês ou são apegados demais aos seus livrinhos? Conte aqui nos comentários!!

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: And Then There Were None
AUTORA: Agatha Christie
GÊNERO: Suspense
EDITORA: Globo Livros
ANO DE LANÇAMENTO: essa edição é de 2009 mas o livro é de 1939
NÚMERO DE PÁGINAS: 400

SINOPSE: Uma ilha misteriosa, um poema infantil, dez soldadinhos de porcelana e muito suspense são os ingredientes com que Agatha Christie constrói seus romance mais importante. Na ilha do Soldado, antiga propriedade de um milionário norte-americano, dez pessoas sem nenhuma ligação aparente são confrontadas por uma voz misteriosa com fatos marcantes de seus passados.
Convidados pelo misterioso Mr. Owen, nenhum dos presentes tem muita certeza de por que estão ali, a despeito de conjecturas pouco convincentes que os leva a crer que passariam um agradável período de descanso em mordomia. Entretanto, já na primeira noite, o mistério e o suspense se abatem sobre eles e, num instante, todos são suspeitos, todos são vítimas e todos são culpados.


Olá pessoal! Haviam me dito que Agatha Christie era viciante e eu não tinha acreditado, mas agora dou minha mão à palmatória porque ela é sim! Fiquei acordada até altas horas para terminar esse livro pois eu não conseguiria dormir em paz se não fosse até o fim.

No começo, somos apresentados aos dez personagens que foram convidados a comparecer à Ilha do Soldado, que são: Emily Brent, Phillip Lombard, Vera Claythorne, Mr. Blore, Antony Marston, Dr. Armstrong, General Macarthur, Juiz Wargrave e o casal Mr e Mrs. Rogers. Há boatos de que a casa para a qual foram convidados seja de uma estrela de Hollywood porém, quando essas pessoas se encontram, percebem que isso não é verdade pois ali, ninguém se parece com amigos de pessoas famosas.

Conforme o tempo passa, as pessoas vão percebendo a esquisitice daquela situação até que, após o jantar do primeiro dia, eles são surpreendidos por uma voz que os acusa cada um de ter cometido um crime. A partir daí, começam as mortes misteriosas de um por um, e junto, o sumiço dos soldadinhos que estão em cima da mesa.

"Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move; um deles se engasgou, e então sobraram nove."




Esse livro, originalmente, se chamava O Caso dos Dez Negrinhos, que tinha relação com a canção folclórica inglesa homônima mas, essa edição foi lançada "politicamente correta" onde o título foi alterado além do nome da ilha que era Ilha do Negro na versão original.

A trama te envolve do início ao fim. Fiquei tentando montar o quebra cabeça, elaborei algumas teorias, mas não acertei o final. A autora não deixa nenhum fio solto para que você chegue a nenhuma conclusão. Só descobrimos tudo o que aconteceu realmente no último capítulo do livro e o desfecho é surpreendente.

"Um soldadinho fica sozinho, só resta um; ele se enforcou, e não sobrou nenhum."

Recomendo muito essa leitura: rápida, simples e cheia de mistério!

Beijos e até a próxima!!!