TÍTULO: Memórias de Uma Gueixa
AUTOR: Arthur Golden
GÊNERO: Ficção
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: essa edição, 2015
NÚMERO DE PÁGINAS: 448

SINOPSE: No pequeno vilarejo à beira mar onde Chiyo nasceu, a vida é ver o pai tecer redes de pesca, ajudar a mãe a manter em ordem a casa de chão de terra batida, depois brincar no lago com a irmã e as crianças vizinhas. É uma existência simples, porém segura e feliz.
Mas tudo muda quando sua mãe adoece. O pai, que já perdeu a primeira esposa, fica desnorteado diante da possibilidade de ter que criar duas filha sozinho. Assim, quando um conhecido lhe propõe mandar as meninas para Kioto, ele não consegue fazer a coisa certa.
Da noite para o dia, as duas são levadas para a cidade grande e separadas assim que chegam lá. Sem saber por que foi tirada dos pais nem onde etá a irmã mais velha, aos 9 anos a pequena Chiyo vira criada numa okiya - uma casa de gueixas.
Enquanto esfrega o chão e carrega pesados baldes d'água, ela percebe que só existe uma forma de escapar dessa vida de martírio eterno. Para isso, ela se torna Sayuri, uma das gueixa mais famosas de todos os tempos.


Oi pessoas! Finalmente mais uma leitura concluída. Foram longos 16 dias de leitura dessas 443 páginas. A vida está bem corrida e o tempo apertado para eu fazer tudo o que eu quero. Para conciliar trabalho, casa, filho, treinos de corrida, leitura e outras coisitas mais, o meu dia teria que ter muito mais de 24 horas.

De início, achei a leitura chata e massante mas, apesar de todo o sofrimento de Chiyo, comecei a enxergar a beleza e a profundidade da história. A descrição detalhada do autor proporciona uma perfeita visão do cenário do Japão nas décadas de 30 e 40.

Chiyo perde a família (os pais morrem e ela é separada da irmã mais velha quando as duas são vendidas para okiyas - casas de gueixas) e sofre "bulling" de uma das gueixas da okiya em que vive, quando é obrigada a deixar seus estudos como gueixa para ficar como criada da casa. Contudo, de repente ela esbarra com um homem que lhe devolve as esperanças ao dizer palavras de encorajamento, o que faz com que ela prometa a si mesma que vai fazer de tudo para retornar aos seus estudos e, a partir daí, ela fica obcecada por ele, mesmo sem saber seu nome, somente sabendo que ele é presidente de uma grande empresa.

Posso dizer que essa história me conquistou e a terminei admirando muito Chiyo, que passa a se chamar Sayuri quando se torna gueixa. Ela faz pensarmos o quanto temos que ser perseverantes em nossos objetivos, mesmo que passemos por muitas situações difíceis que podem no fazer perder as esperanças.

O livro me fez entender o que era a vidas das gueixas, que são normalmente confundidas com prostitutas. Não que não seja a mesma coisa mas elas na verdade são artistas que tem a função de entreter os homens com conversas, jogos, danças e também com sexo. E possuíam um danna, que a sustentava fornecendo moradia, maquiagens e quimonos glamourosos.

Por esses dias, o canal Universal (157 na NET) transmitiu o filme baseado no livro, que foi lançado em 2005, cujo trailer está abaixo. Adivinhem se eu não quero assistir o mais rápido possível?




Leitura mais do que recomendada. É um belo passeio, apesar de cheio de tristezas, pelo Japão dos anos 30 e 40.

Beijos e até o próximo post!

2 Comentários

  1. Oiii!
    Tudo bom?
    Gostei da resenha. O único livro que engloba a cultura
    oriental que eu li foi A Noiva Fantasma e eu adorei! Tudo bem
    que é fantasia e o enredo não nada a ver com Memórias de uma Gueixa,
    mas eu fiquei com bastantes vontade de conhecer mais dessa cultura e
    acho que partir pra um drama (posso dizer que é drama?) seria uma boa.

    Já tinha lido por aqui em algum lugar vc comentando que essa leitura
    estava mesmo meio densa e fiquei receosa mas agora acho que já posso
    colocar na minha listinha rsrs.

    Beijinhos,
    Sala de Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! Pode-se dizer que é um romance dramático... rsrs... é uma leitura densa mesmo, muitas páginas e com muitas linhas por página. Em cada capítulo eu demorava, pelo menos, uns 15 minutos e não consegui ler meuitas páginas por dia. Mas valeu a pena. E depois, eu assisti o filme, que achei bem fiel ao livro e muito bonito. Coloque na sua lista sim. bjs

      Excluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...