Oiiiii! Hoje venho falar de um livro maravilhoso, ambientado em três locais: Escócia, onde a trama se inicia, Londres, Inglaterra, onde tudo acontece e Virgínia, na América, onde a história se fecha. O livro é divido em três partes, uma em cada local.


TÍTULO ORIGINAL: A Place Called Freedom
AUTOR: Ken Follett
GÊNERO: Romance histórico
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2014
NÚMERO DE PÁGINAS: 400

SINOPSE: Escócia, 1766. Condenado à miséria e à escravidão nas brutais minas de carvão, Mack McAsh inveja os homens livres, mas nunca teve esperança de ser como eles. Até que um dia ele recebe uma carta de um advogado que lhe revela a ilegalidade da escravidão dos mineiros e um novo horizonte se aos seus olhos. Porém, para realizar seu sonho, Mack precisará enfrentar todo tipo de opressão das autoridades que não estão acostumadas a serem questionadas.
Já na idealizada Londres, ele reencontra uma amiga de infância, Lizzie Halim, agora casada com Jay Jamisson, membro da família que tanto o atormentara na Escócia. Lizzie não se conforma em viver submetida aos caprichos dos homens e constantemente escandaliza a sociedade com seu comportamento e suas ideias não convencionais. Quando Mack é acusado injustamente de um crime, ela quebra protocolos e sai em sua defesa, mas o amigo é deportado para a América.
Mack logo descobre que se trata de uma mera mudança de continente, não de ares sociais, pois a colônia também vive momentos de tensão: se na Inglaterra os trabalhadores não desejam mais ser explorados pela elite, ali os colonos preparam o caminho que os levará à independência do jugo inglês.


Comecei amando Lizzie, mulher forte e que não tinha um comportamento padrão para as mulheres da época. Mas confesso que me decepcionei um pouco com uma atitude que ela tomou no momento do julgamento de Mack, apesar de ela não ter tido saída.

Mack é um escravo que se destaca, por ser mais inteligente que os demais e ter ambições. Por isso é taxado de arruaceiro e problemático.

Ambos tem um objetivo em comum: a liberdade, e isso os aproxima e desperta um sentimento que a muito se encontrava dentro de ambos.

O autor constrói uma história fictícia incluindo fatos históricos reais (assim como a sua outra obra que li, As Espiãs do Dia D). Mostra a degradação dos escravos, em algumas passagens você se sente como se estivesse naqueles ambientes horríveis, tal o detalhamento que ele faz. 

Foi uma leitura prazerosa, cheia de emoções e também um pouco angustiante em alguns momentos. Chorei com um acontecimento muito triste. Final emocionante e que não deixa você largar o livro até terminar! Super recomendo a leitura!

Beijos!!!

4 Comentários

  1. GAROTA!
    Eu sou gamada nos livros do Ken Follett e esse é mais um que entrou
    pra minha lista de desejados.

    Acho incrível o tanto de detalhes que ele coloca nos enredos sem deixar
    a gente cansado, sem tornar a leitura penosa. Até agora, todos os livros
    dele que eu li me envolveram do início ao fim e todos foram uma experiência
    ótima.

    Inclusive vou reler Mundo Sem Fim esse ano pro Desafio Livrada 2016 e já tenho outros dele aqui esperando na fila rsrs

    Beijinhos, flor!
    Sala de Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena mesmo! Mundo em Fim está na minha lista de leituras para esse ano! bjs

      Excluir
  2. Eu sou apaixonada pelos livros desse autor! E amo histórias de época, só me falta o dinheiro hahahha ótima dica.

    *Beijokas -Hellen Barros.

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Estou louca para ler os livros de Ken Follett, minha amiga já me indicou e falou que é muito rico em detalhes e a inclusão dos fatos históricos são fantásticas.
    Adorei a indicação!

    http://www.booksimpressions.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...