E aí pessoal! No último dia do ano vamos fazer um balanço das leituras realizadas em 2016!!! Fiquei muito satisfeita com o resultado pois li mais que o dobro de livros do ano passado mesmo aos trancos e barrancos, com pouco tempo disponível, lendo no caminho do trabalho, no restinho do intervalo do almoço, nos espacinhos de tempo entre os exercícios, cuidar da casa, do filho... ufa! Segue a lista:

1. O Rouxinol - Kristin Hannah (janeiro)
2. Uma Curva no Tempo - Dani Atkins (janeiro)
3. O Símbolo Perdido - Dan Brown (janeiro)
4. O Guardião de Memórias - Kim Edwards (janeiro)
5. Gelo Negro - Becca Fitzpatrick (janeiro)
6. O Despertar do Príncipe - Colleen Houck (fevereiro)
7. O Sal da Vida - Françoise Héritier (fevereiro)
8. Sonhos Partidos - M. O. Walsh (fevereiro)
9. Seis Anos Depois - Harlan Coben (fevereiro)
10. Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes (fevereiro)
11. Revival - Stephen King (março)
12. Sono - Haruki Muramaki (março)
13. O Anatomista - Federico Andahazi (março)
14. Caixa de Pássaros - Josh Malerman (março)
15. O Sol é para Todos - Harper Lee (março)
16. O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman (março)
17. Fui uma Boa Menina? - Carolina Munhóz (abril)
18. Inferno - Dan Brown (abril)
19. A Garota dos Olhos Azuis - Karin Slaughter (abril)
20. Um Lugar Chamado Liberdade - Ken Follet (abril)
21. Lua de Mel - James Patterson e Howard Roughan (abril)
22. Dias Sombrios - Anne Cassidy (abril)
23. Doce ou Travessura - Gisele Souza (abril)
24. O Físico - Noah Gordon (abril)
25. Muito Além do Tempo - Alexandra Monir (maio)
26. Memórias de uma Gueixa - Arthur Golden (maio)
27. Fique Comigo - Harlan Coben (maio)
28. Do Que Eu Falo Quando Eu Falo De Corrida - Haruki Murakami (junho)
29. Amigas para Sempre - Kristin Hannah (junho)
30. O Demonologista - Andrew Piper (junho)
31. PS.: Ainda Amo Você - Jenny Han (junho)
32. Armadilhas da Mente - Augusto Cury (junho)
33. Que Falta Você me Faz - Harlan Coben (junho)
34. Na Pele de uma Jihadista - Anna Erelle (junho)
35. O Escaravelho do Diabo - Lucia Machado de Almeida (junho)
36. It, A Coisa - Stephen King (julho)
37. Por Toda a Eternidade - Kristin Hannah (julho)
38. O Amor Nos Tempos de #Likes - Pam Gonçalves, Bel Rodrigues, Hugo Francioni e Pedro Pereira (agosto)
39. Detalhe Final - Harlan Coben (agosto)
40. O Casamento - Nelson Rodrigues (agosto)
41. O Livro de Leah - Laura Malin (agosto)
42. Um Reflexo na Escuridão - Philip K. Dick (setembro)
43. A Guardiã do Tempo - Alexandra Monir (setembro)
44. Paddy Clarke Ha Ha Ha - Roddy Doyle (setembro)
45. Por que fazemos o que fazemos? - Mario Sérgio Cortella (setembro)
46. Sangue na Neve - Jo Nesbo (setembro)
47. Ligeiramente Seduzidos - Mary Balogh (setembro)
48. Nu, de Botas - Antonio Prata (outubro)
49. O Pintor de Memórias - Gwendolyn Womack (outubro)
50. Confissões de uma Garota Excluída, mal-amada e (um pouco) Dramática - Thalita Robouças (outubro)
51. A Garota Sem Passado - Michael Kardos (outubro)
52. A Louca da Casa - Rosa Monteiro (outubro)
53. O Menino que Desenhava Monstros (outubro)
54. Não Fale com Estranhos - Harlan Coben (novembro)
55. Sob a Redoma - Stephen King (novembro)
56. O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares - Ramson Riggs (novembro)
57. O Amante Japonês - Isabel Allende (dezembro)
58. Faca de Água - Paolo Bacigalupi (dezembro)
59. Adultério - Paulo Coelho (dezembro)
60. Razão e Sensibilidade - Jane Austen (dezembro)
61. Ainda Estou Aqui - Marcelo Rubens Paiva (em leitura)
62. A Fuga - Barbara Delinsky (em leitura)

Os dois últimos não vou conseguir terminar antes do dia de hoje, infelizmente. Apesar de estar de férias, os preparativos de fim de ano e algumas histórias pessoais tomaram muito meu tempo e não deu para concluir. Esses vão entrar como leituras de 2017. Desses todos, 13 entraram para os meus favoritos (estão em vermelho).

Esse ano não vou divulgar a lista da Aline porque ela não anotou quais ela leu esse ano... ano que vem mostramos as duas!!!

Quero aproveitar também para agradecer a todos que acompanharam o blog durante esse ano e fizeram com que crescesse e ficasse melhor!

E vocês, quantos livros leram em 2016?

TÍTULO ORIGINAL: Sense and Sensibility
AUTORA: Jane Austen
GÊNERO: Romance de época
EDITORA: Martin Claret
ANO DE LANÇAMENTO: esta edição - 2012; original - 1811
NÚMERO DE PÁGINAS: 233 (1ª parte do livro 3 em 1)

SINOPSE: Este romance concentra sua narrativa nas idílicas tramas de amor e desilusão em que duas belas irmãs inglesas se envolvem, Elinor e Marianne Dashwood, quando chega a idade do casamento. À procura do amor verdadeiro, as filhas órfãs de uma família pertencente à pequena nobreza enfrentam o mundo repleto de interesses e intrigas da alta aristocracia. Marianne e Elinor representam polos opostos do universo ético de Austen - enquanto Marianne é romântica, musical e dada a rompantes de espontaneidade, Elinor é a encarnação da prudência e do decoro.


Olá pessoal! Hoje venho falar do meu primeiro contato com Jane Austen, que por acaso foi com seu primeiro livro, Razão e Sensibilidade, de 1811. Ele faz parte de uma edição contendo três obras da autora, juntamente com Orgulho e Preconceito (1813) e Persuasão (1818). Li este livro pois havia feito uma promessa a mim mesma de que em 2016 eu leria um livro dela, mas confesso que foi um pouco decepcionante. Explico mais adiante.

Sir Henry Dashwood teve um filho de seu primeiro casamento, John Dashwood, e três filhas em seu segundo, Elinor, Marianne e Margaret, que viviam em Norland Park tranquilamente com ele e sua mãe. Em seu leito de morte, Sir Henry Dashwood pediu ao filho que não desamparasse suas irmãs entretanto não foi bem isso que aconteceu. Abrigou a mãe e as 3 filhas em sua casa mas não receberam tratamento solícito de sua esposa, que não escondeu sua insatisfação em recebê-las e não permitiu que o meio irmão desse uma quantia adequada para que elas pudessem viver tão confortavelmente possível.





Desta forma, a Sra. Dashwood decidiu mudar-se para um chalé pertencente a seu primo, Sir John Middleton, em Barton, que fez questão de demonstrar o quanto elas eram bem vindas.

A saga amorosa de Elinor e Marianne começa a partir dessa mudança que deverão lidar com os acontecimentos cada uma a sua maneira; a primeira, mais sensata e cautelosa e a segunda, espontânea e com a sensibilidade a flor da pele, e nem sempre demonstrando consideração por sua irmã. Porém, o amor incondicional de uma pela outra a faz reconhecer seu erro.

Comecei esse livro empolgada, pois eu estava iniciando a leitura de um clássico super aclamado e que, para meu modesto conhecimento literário, seria um acréscimo e tanto mas, durante a leitura não conseguia engrenar. Lia poucas páginas e já parava, tanto que demorei muito para terminar. Acredito que também tenha sido o tipo de edição que eu li, mais compacta, com poucas páginas mas com muito texto em cada uma, a letra reduzida, que também não tenha ajudado muito... Ou minha vibe que, ultimamente, não está para esse tipo de leitura. Enfim, não me empolguei.




Mas a história tem o seu encantamento e deixa sua lição, mostrando que "aqui se faz, aqui se paga" e sempre prevalecem as boas intenções.

Para quem gosta de romance de época é um prato cheio.

Beijos e até o próximo post!!!

Hoje vou dar 3 dicas de livros infantis que são sucesso aqui em casa na Hora da Historia antes de dormir! Porque quem ama livros presenteia os filhos, netos, sobrinhos, afilhados e até os filhos dos vizinhos com livros!


TÍTULO ORIGINAL: The Silent Owl
AUTOR: Clemency Pearce
ILUSTRAÇÕES: Sam McPhillips
EDITORA: Vale das Letras
ANO DE LANÇAMENTO: 2012
NÚMERO DE PÁGINAS: 27 (físico)


SINOPSE: "Todos os animais se preocupavam por nunca terem ouvido a corujinha dar um pio sequer. Eles mal podiam esperar para desvendar o mistério da corujinha silenciosa."

O 1º é A Corujinha Silenciosa. Um livro que fala de inclusão sem falar de inclusão! Como? Ele fala sobre uma corujinha que não fala, ou pia, más não fica martelando o “problema” na cabecinha do pequeno leitor, mostrando o comportamento dos outros animais em torno do fato. Um livro curto, porém, muito coerente (se você se aventura no mundo dos livros infantis sabe que nem sempre isso é fácil de encontrar!). Recomendo para aquelas noites em que você está cansada mas sabe da importância do ato de se ler para uma criança. Leitura leve e rápida! Dica: Faça cada animalzinho com uma voz diferente, as crianças amam!


TÍTULO ORIGINAL: Macaquice
AUTOR: Nye Ribeiro
ILUSTRAÇÕES: Rita Duque
EDITORA: Roda & Cia
ANO DE LANÇAMENTO: 2012
NÚMERO DE PÁGINAS: 24 (físico)

SINOPSE: "Na árvore dos passarinhos havia dez macaquinhos para esperar a vovó Benta. De um em um eles foram pulando do galho onde estavam. E agora? Você é capaz de adivinhar quantos ficaram?"

O próximo é Macaquice. Esse livro brinca com os números em contagem decrescente e rimas. Adoro deixar que minha filha diga qual o número que vem depois, quando esqueço e leio ela reclama! Algumas das ilustrações escondem dicas de qual é o número e é uma delícia ver ela descobri-los. Texto engraçado e inteligente, com rimas excelentes (rsrsrsrs, não como essa minha!). Também curto, simples e de fácil leitura.


TÍTULO ORIGINAL: The Jumblies
AUTOR: Edward Lear
ILUSTRAÇÕES: Sam McPhillips 
EDITORA: Vale das Letras
ANO DE LANÇAMENTO: 2013
NÚMERO DE PÁGINAS: 25 (físico)

SINOPSE: "Junte-se aos Jumblies em sua viagem numa peneira neste clássico poema nonsense de Edward Lear."

O último é a escolha preferida da minha filha de 7 anos. Uma Viagem Atrapalhada conta a aventura dos Jumblies, um povo de cabeça verde e mãos azuis, que vão se aventurar onde nenhum outro Jumblie já foi... Só que em uma PENEIRA! Demorei um pouco para estabelecer um padrão de leitura, já que o livro tem tipo um refrão que se repete várias vezes, e acho que é normal cada um ler de um jeito (o jeito do meu marido difere do meu!). Um pouco mais longo que os outros dois citados (será que é por isso que ela gosta tanto?) tem aquela bela lição de superar seus medos e enfrentar as adversidades para crescer. Outra leitura que vale a pena.


Bom, espero que tenham gostado e, sem querer parecer propaganda de projeto de banco, LEIAM PARA UMA CRIANÇA SEMPRE! Sei que as vezes é difícil se estabelecer uma rotina para isso, más não importa o tamanho do livro, ao fazer isso você estimula o prazer pela leitura que vai acompanha-las por toda uma vida e cria lembranças que duram muito mais que os brinquedos que elas ganharam nesse natal!

Olá pessoal! Vamos ao balanço de novos livros do mês de dezembro? Aqui foi bem legal juntando as compras e os presentes de Natal.




Novamente uma avalanche de Stephen King: Cujo, O Iluminado, Doutor Sono e Sobre a Escrita.
Vida Dupla - S. J. Watson
O Bebê de Bridget Jones - Helen Fielding
S. - J. J. Abrams, Doug Dorst

Todos eram mega esperados, e estou muito feliz por tê-los agora. E a fila interminável só aumenta! Precisando de várias reencarnações para ler tudo! rsrs

E vocês, já leram algum desses? E o que ganharam de Natal! Comentem pois estou curiosa para saber.

Beijos e até a próxima!



Olá leitores, como estão? Espero que vocês tenham passado um dia de Natal esplêndido, junto com suas famílias e que tenham comido bastante aqueles quitutes maravilhosos que só o Natal nos proporciona (e que nos fazem ganhar uns quilinhos).

Hoje vim oficialmente noticiar a novidade. Como vocês devem ter notado, estou agora de colaboradora (um belo upgrade!). Há algum tempo tenho planejado isso, mas fazia convites que não eram aceitos. E de repente, de uma hora para outra, literalmente (pois decidimos isso na noite de sexta feira, antevéspera de Natal), tudo deu certo! Minha amiga, Aline de Paula, aceitou meu convite para fazer uma resenha do último livro que ela leu, O Navio das Noivas, para publicar aqui no blog. E ela aceitou, escreveu, eu li, amei e falei para ela entrar comigo nessa e ela aceitou! Foi bem assim, em questão de horas!

Só quero dizer que estou bem contente com a parceria e, desta forma, de vez em quando vocês vão deparar com posts da Aline. Acredito que essa contribuição será excelente para o blog, pois diversificará os tipos de gêneros literários. E essa garota é de fibra, tem gênio forte, escreve bem, então tenho certeza de que vocês verão coisas boas por aí.

Eu espero que gostem e que continuem comentando pois tento fazer de tudo para agradar quem está lendo! Vou continuar respondendo a TAGs, realizando sorteios e, em 2017, pretendo me engajar em alguns projetos. Um já está em execução e começará em janeiro. Aguardem!

Amiga Aline, seja muito bem vinda a este espaço onde espero que permaneça por muito tempo!

Beijos a todos!



Olá pessoal, com vão vocês? A uns dias atrás divulguei o banner desse projeto aqui na lateral do blog e hoje finalmente é o dia das postagens! O objetivo do projeto é mostrar o que aconteceu de bom em nossas vidas apesar de 2016 ter sido um ano pesado, com muita coisa ruim e tristezas, e postar coisas que te deixaram orgulhoso e feliz nesse ano que passou. Ou seja, compartilhar felicidade!

A ideia do projeto foi do blog Próxima Primavera, da linda Clara Assis. Quando li sobre o projeto quis participar na mesma hora, e ajudar a mostrar que nem tudo é tristeza e que devemos dar valor às nossas conquistas, independente de seu tamanho. Então vamos lá!



Em 2016, a minha principal conquista foi eu não ter parado de correr. Mesmo com altos e baixos, por conta própria, não desisti e percebi que, mesmo pequenos, obtive avanços. Tive que suspender por um tempinho devido a um probleminha de saúde mas retomei e cá estou. E mais, me ajudou a perder quase 10 kg e estou me sentindo muito melhor comigo hoje.




Minha conquista literária também aconteceu em 2016!!!! Consegui terminar dois tijolões do Stephen King!!! It, A Coisa e Sob a Redoma!!!! Amei os dois livros! Em 2017 pretendo ler Dança da Morte, outro imenso, com mais de 1200 páginas.



A maior alegria foi eu ter conseguido ir ao show do Aerosmith!!!! Sou muito apaixonada pelos caras, principalmente pelo Steven Tyler, desde a adolescência! Foi um sonho realizado, chorei muito, gritei muito e saí de lá em êxtase! Inesquecível!!!!

Bem, espero que tenham gostado do post e não percam amanhã a postagem da Clara lá no blog Próxima Primavera sobre o fechamento do projeto!

Beijos e um Feliz Natal a todos!

TÍTULO ORIGINAL: The Ship of Brides
AUTOR: Jojo Moyes
GÊNERO: Romance
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 384 (físico)



SINOPSE: "A Segunda Guerra Mundial acabou, e jovens esposas começam a buscar formas de reencontrar os homens com quem se casaram durante o conflito. Em Sydney, Austrália, quatro mulheres com personalidades únicas embarcam em uma extraordinária viagem a bordo do HMS Victoria, um porta-aviões que as levará, junto de outras mais de seiscentas noivas, além de armas, aeronaves e mil oficiais da Marinha, até a distante Inglaterra. As regras no navio são rígidas, mas o destino que reuniu todos ali, homens e mulheres atravessando mares, será implacável ao entrelaçar e modificar para sempre suas vidas."

Eu devo confessar que comprei esse livro pela capa. Sim, fui seduzida por algo que me chamou a atenção nela desde a 1ª vez que o vi exposto na única livraria existente na minha cidade. Sinceramente nem eu sei o que vi na capa. Isso não seria nada anormal se não fosse por um pequeno detalhe: Sofro de um mal terrível, chamado preconceito literário. Nada mais é que formar opiniões sem base em conhecimento próprio de leitura. E a autora do meu mais novo livro “crush” era Jojo Moyes. Que mal há em ser Jojo Moyes? A resposta estava explicita nessa mesma capa, ela é a autora de Como eu era antes de você.... Daí você poderia deduzir, com toda a razão, que eu não curti Como eu era blá blá, más não, eu nem o li. É aí que mora o mal de quem sofre de preconceito literário. Se o livro virar filme e o filme tem um apelo sentimental muito grande (leia-se: se vão usar pacientes terminais, ou doenças, em histórias de amores que está na cara que não vão rolar), eu deleto, e pior, julgo o autor posteriormente por isso... ou melhor, julgava. Após meses de uma batalha interna comprei O Navio das Noivas... E me apaixonei.

O livro conta a história quando a guerra termina, na hora em que os soldados são dispensados e voltam para casa, após anos de serviço. Só que muitos foram para muito longe, nesse caso Austrália, e ali, no calor da juventude e da imprevisibilidade do futuro, se apaixonaram e casaram. Então cabe ao governo Britânico levar essas esposas (muitos dos casais não chegaram a passar nem um mês inteiro juntos) ao encontro de seus maridos... Só com isso já se daria uma história muito boa, agora leve em conta o que era ser mulher em 1946. Ai meu bem as coisas complicam. Você vai conhecer um pouco desse mundo pelas lembranças de uma Senhora, que te faz embarcar nesse navio e ver um pouco da vida de 4 dessas esposas que embarcam rumo a um futuro desconhecido e incerto.

A parte que mais me marcou foi o recebimento de um telegrama por uma das quase 700 esposas que estavam a bordo. O marido simplesmente avisava que ela não era mais bem-vinda e o capitão a despacha no porto mais próximo de volta para casa! Um trecho de uma informação contida em um folheto distribuído para as esposas de guerra que está no capitulo 22 deixa bem claro como elas eram vistas: “Lembre-se que o Exército não a levará a destino algum sem antes verificar que “aquele homem” está à sua espera. Em resumo, considere-se uma encomenda postal registrada”. (E a gente reclama das nossas encomendas se extraviarem pelo Correios!)

O livro tem 384 páginas, 27 capítulos divididos em 3 parte o que é pouco, muito pouco. Quando termina você fica querendo saber mais, já que grande parte da história se concentra apenas nos 42 dias de viagem, e a vida das personagens seguiu cada uma um rumo após o desembarque, é impossível não achar as informações fornecidas pela autora muito pouco e deixar a imaginação decorrer sobre o que veio depois. (Um livro que faz você xingar o autor por ter economizado nas páginas é sempre um livro bom!)

Com a dose exata de romance para você que, assim como eu, está numa dieta restrita de “melação”, o Navio das Noivas foi a grande surpresa para mim nesse ano de 2016.

E sim, acrescentei “Como eu era antes de você” na minha lista de livros de 2017!

TÍTULO ORIGINAL: Adultério
AUTOR: Paulo Coelho
GÊNERO: Ficção
EDITORA: Sextante
ANO DE LANÇAMENTO: 2014
NÚMERO DE PÁGINAS: 240 (físico); 2947 (ebook)


SINOPSE: Minha tristeza se tornou rotina, ninguém percebe mais. Não consigo mais dormir direito. Sinto-me egoísta. Continuo tentando impressionar as pessoas como se ainda fosse criança. Choro sozinha e sem motivo no banho. Só fiz amor com vontade mesmo uma vez em muitos meses - e você sabe bem de que dia estou falando. Já considerei que tudo isso seja um rito de passagem, consequência de eu ter passado dos 30 anos, mas essa explicação não basta. Sinto que estou desperdiçando minha vida, que um dia olhar para trás e me arrepender de tudo o que fiz. Menos de ter me casado com você e tido nossas lindos filhos. - Mas isso não é o mais importante? Para muitas pessoas, sim. Mas para mim não é o suficiente.



Dessa vez vamos de nacional. Adultério é um livro extremamente reflexivo. A personagem Linda, que é jornalista e tem 31 anos, mora na Suíça e tem a vida de sonho de qualquer pessoa: é casada com um marido que a ama e é gentil, dois filhos lindos, uma casa ótima e dinheiro suficiente. Mas ela se vê frente a um dilema quando percebe que algo está faltando na sua vida: aventura. Ela está cansada da rotina e procura uma mudança no desconhecido.

Quando ela reencontra um ex-namorado vê essa oportunidade de mudança e de aventura em uma paixão proibida e pensa que essa é a solução dos seus problemas.

Esse tipo de leitura é um tanto quanto polêmica pois pode dividir opiniões. Até que ponto é certo o que Linda fez? Por que não procurou ajuda profissional?

"Talvez não o ame de fato. Mas amo o que despertou em mim. Tratou-me sem respeito algum, me deixou sem dignidade, não se intimidou e fez exatamente o que queria, enquanto eu procurava, mais uma vez, tentar agradar alguém." (página 1880)

"O que mata a relação entre duas pessoas é justamente a falta de desafios, a sensação de que nada mais é novidade. Precisamos continuar sendo uma surpresa um para o outro." (Página 2861)

"É possível se educar para amar o homem certo? Claro que sim. O problema é conseguir esquecer o homem errado, que entrou sem pedir licença porque estava passando e viu a porta aberta" (página 2319)

O final do livro foi bacana. A mensagem que ele deixa fala sobre o amor, no quanto devemos dar valor ao que temos desde que seja baseado em amor verdadeiro.


"Que eu tenha sempre claro que só o Amor Verdadeiro pode competir com qualquer outro amor deste mundo. Quando entregamos tudo, não temos mais nada a perder. E então desaparecem o medo, o ciúme, o tédio e a rotina, e resta apenas a luz de um vazio que não nos assusta, mas nos aproxima um do outro. Uma luz que sempre muda, e é isso que a torna bela, cheia de surpresas – nem sempre as que esperamos, mas aquelas com as quais conseguimos conviver."

O casamento não é algo fácil de se viver. Sou casada a quase 15 anos e nesse tempo já tive uma boa demonstração disso. Realmente a rotina pode dar aquela esfriada na convivência, a falta de se surpreender com o outro, a vinda dos filhos, o excesso de trabalho e a falta de tempo podem acabar com uma união. Mas, se há amor verdadeiro, ele sempre se renova e supera tudo, daí não se arrisca aquela "puladinha de cerca" que pode levar tudo por água abaixo. Se focarmos sempre nos momentos de felicidade plena, mesmo que não sejam muitos, nenhuma outra pessoa consegue tomar o lugar daquela a quem você prometeu amor eterno, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.

Recomendo a leitura!!

Beijos e até a próxima!!!



Hoje o blog comemora 1 ano. Comecei esse cantinho despretensiosamente, com o objetivo de comentar sobre minhas leituras e deixar um registro sobre elas para que eu nunca me esquecesse dos livros que já li. Um inventário literário. Mas, nesse tempo que passou, fiz amigos que compartilham da mesma vontade, trocamos experiências, choramos, deliramos com lançamentos super esperados. A minha lista de blogs que sigo já está bem grandinha e às vezes me sinto até mal por não conseguir acompanhar tudo e comentar em todos.

Enfim, em um ano posso dizer que ganhei muita coisa além seguidores, e cliques, e curtidas. Ganhei confidentes literários. Aprendi e venho aprendendo muito com vocês e principalmente, acho que dei uma melhorada nas minhas resenhas (apesar de ainda faltar muuuuuuuito para serem resenhas de verdade). Eu não almejo parcerias com editoras ou ganhar dinheiro com isso, pois ele foi criado para que eu pudesse mostrar os gêneros que gosto, as descobertas e trocar experiências com quem tem paixão por leitura, e posso dizer que me sinto realizada por isso.

Espero, sinceramente, que eu mantenha o blog por muito tempo pois ele me dá prazer. Quando sento para escrever eu esqueço dos problemas do dia a dia, das chateações, das notícias ruins e me concentro em tentar redigir o melhor possível (pois não sou muito boa nisso) e passar para as pessoas, de uma maneira concisa, a mensagem do livro lido.

Obrigada a todos que acompanham esse cantinho e me ajudam a crescer de alguma forma!

Beijos e que venha o segundo ano!!!!!





Olá pessoal! E finalmente o sorteio foi realizado!!! Gravei o vídeo abaixo (que ficou bem ruim, a imagem não está nítida, e por favor desprezem o mau jeito desta pessoa). Assistam e descubram os felizardos (ou felizardas)!!!!






Parabéns aos 3 ganhadores! Não conseguirei enviar os prêmios esse ano mas em janeiro de 2017 com certeza! Entrarei em contato para que me forneçam seus endereços! Espero retorno em até 10 dias; caso não se manifestem, será realizado novo sorteio.

Espero que gostem dos livros e os aproveitem ao máximo!

Beijos e até o próximo sorteio!!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Water Knife
AUTOR: Paolo Bacigalupi
GÊNERO: Ficção/Distopia
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 400

SINOPSE: Num futuro árido e tumultuado, em que a água ganhou status de "commodity" mais valiosa, o direito de uso das fontes e dos rios é alvo de disputas ferrenhas. Uma guerra entre governos, órgãos públicos e empresários, na qual vale tudo. Enquanto advogados e burocratas armam-se com infinitos processos judiciais, mercenários e militares subjugam proprietários de terra, implodem estações de tratamento e interrompem o abastecimento de regiões inteiras.
Nesse cenário surge Angel, um faca de água, um dos muitos mercenários com a missão de cortar e desviar o fornecimento de água a mando de quem paga mais. Lucy é uma jornalista premiada que decidiu revelar para o mundo a realidade da Grande Seca. Maria é uma jovem cuja vida foi destruída pelos efeitos das mudanças climáticas.
Quando o direito de usar água significa dinheiro para alguns e sobrevivência para outros, o que esses três personagens não sabem é que seu encontro é um marco que poderá mudar tudo. Umm novo fiel da balança que sempre pendeu para o mesmo lado.


O início da história é um pouco lento e eu demorei para entender o que realmente estava acontecendo, a história em si. Nada é dito a respeito de como a humanidade chegou ao ponto dessa escassez de água. A única coisa que se sabe é que está assim. Até o capítulo 17 você fica meio perdido pois os capítulos são contados do ponto de vista dos diferentes personagens principais mas depois desse ponto as relações se juntam e aí a história começa a ficar melhor.



A história se passa em Phoenix, Los Angeles, Arizona, Nevada, Califórnia, Texas e por onde passa o Rio Colorado, o motivo da coisa toda. Não foi possível me situar em que época se passa mas parece que não é um futuro muito longínquo.

É uma história bem violenta, com algumas cenas de tortura que me tiraram a paz... Nos faz pensar em toda água que desperdiçamos, sem darmos conta de que um dia ela pode acabar.




Comprei esse livro simplesmente porque fala sobre a possibilidade do fim da água no planeta. Não li a sinopse e esperei que fosse surpreendida. E fui! O final foi bem agitado e inesperado.

Demorei bastante para ler, apesar de não ser um livro com tantas páginas,  pois esse final de ano está bem tumultuado e li em doses homeopáticas, mas a história é cheia de ação e vale a pena dar uma chance. Recomendo!

Beijos e até o próximo post!




Aqui venho falar sobre a primeira série brasileira da Netflix que, por ser nacional, esperamos pouco dela. Mas não é nada disso! E, por outras opiniões de colegas blogueiros que andei lendo, não sou a única a pensar assim. Também li críticas negativas à série, mas algumas geradas talvez simplesmente porque é falada em português...

“Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá.“




A temática é semelhante à série Divergente. Jovens de 20 anos são selecionados em um processo que os encaminha para Maralto ("o lado de lá"), local onde terão todo o conforto e uma vida muito mais digna do que onde vivem ("o lado de cá"). O futuro distópico é bem representado juntamente à ideia de uma corporação por trás desse processo e a disputa de poder pelo seu comando.

O problema que encontrei foi a maneira mecânica, o que soou artificial, em como o atores interpretam suas falas. Isso me incomodou bastante. Fora isso, acredito que vale a pena conferir a série.

Até porque, de acordo com esta matéria da Veja, aqui, a série foi renovada para uma segunda temporada.

Beijos e até a próxima!!!!

Olá pessoal! Hoje vou de TAG que foi indicação da Hellen do Uma Garota Quase Geek, da época em que ainda era Apenas Giz. Ela repaginou todo o blog e ficou demais! Passem lá para ver!!!!

Nessa TAG você tem que indicar livros de acordo com os dias da semana. Vamos lá?




DOMINGO - Um livro que você não queria que terminasse
O Pintor de Memórias. São tantas viagens lindas nesse livro que não dá vontade que ele termine.


SEGUNDA - Um livro que você teve/tem preguiça de começar
O 3 em 1 da Jane Austen - Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito e Persuasão, mas como eu prometi que pelo menos um desses três eu leria ainda esse ano, vou iniciar em breve.

TERÇA - Um livro que você empurrou com a barriga ou leu por obrigação
Fora os que tinha que ler para a escola e para o vestibular, nenhum.



QUARTA - Um livro que você deixou pela metade ou está lendo no momento
Prometo Falhar. Abandonei pois não gostei do formato em crônicas, apesar de algumas serem lindas.



QUINTA - Um livro de quinta, que você não recomenda
Caixa de Pássaros. Acho que vocês já cansaram de eu falar mal dele por aqui... rsrs



SEXTA - Um livro que você quer que chegue logo
S., que sei que vou ganhar de Natal!

SÁBADO - Um livro que você quis começar novamente assim que terminou
Nenhum. Não costumo reler livros.


Espero que tenham gostado da TAG e fiquem à vontade para responder!

Beijos e até a próxima!

Categorias:

TÍTULO ORIGINAL: El amante japonés
AUTORA: Isabel Allende
GÊNERO: Romance/Ficção chilena
EDITORA: Bertrand
ANO DE LANÇAMENTO: 2015
NÚMERO DE PÁGINAS: 294

SINOPSE: Em 1939, ano da ocupação da Polônia pelos nazistas, os pais de Alma Mendel, de oito anos, resolvem mandá-la para São Francisco para viver em segurança com uma tia e um tio, os Belasco, em sua opulenta mansão. Lá, com o mundo em guerra, ela conhece Ichimei Fukuda, filho do jardineiro japonês da família. Despercebido por todos ao redor, um caso de amor começa a florescer. Depois do ataque a Pearl Harbor, no entanto, os dois são cruelmente separados. Ichimei e milhares de outros japoneses são declarados potenciais inimigos e transferidos compulsoriamente para campos de concentração geridos pelo governo dos Estados Unidos.
Décadas depois, Alma está chegando ao fim de sua longa e movimentada vida. Irina Bazili, uma enfermeira com assuntos pendentes quanto o próprio passado, conhece a mulher idosa e seu neto, Seth, na encantadora e excêntrica casa de repouso Lark House, onde trabalha cuidando dos anciãos. Irina e Seth dão início a uma amizade e, juntos, descobrem uma série de presentes  e cartas misteriosas enviadas para Alma, trazendo à tona uma paixão secreta que perdurou por quase setenta anos. Varrendo através do tempo e abrangendo diferentes gerações e continentes, "O Amante Japonês" explora questões de identidade, abandono, redenção, e o impacto incognoscível do destino em nossas vidas.

Oi leitores! Mais uma leitura finalizada, dessa vez mudando de gênero e saindo um pouco das histórias de suspense e terror em que eu me encontrava mergulhada. Foi o primeiro livro da chilena Isabel Allende que li, e me apaixonei pela escrita da autora.

Me emocionei muito com a história de Alma e Ichimei, um casal incomum para sua época. A história tem como pano de fundo a 2ª Guerra Mundial e é contada dos anos 20 até os dias atuais.


A autora trata de temas como homossexualidade, preconceito racial, abuso sexual o que pode a tornar uma obra polêmica. Discorre também, com extrema delicadeza mas de forma nua e crua, sobre o envelhecimento, mostrando toda a dificuldade e os benefícios da experiência que o tempo nos proporciona.

O início do livro para mim foi um pouco penoso, mas com o decorrer da história fui me apaixonando pelo amor incondicional de Ichi e Alma e confesso que terminei o livro em lágrimas. É um livro único, que com certeza entrou para os meu prediletos.

Nos finais do capítulos são apresentadas algumas cartas de Ichimei para Alma e, o melhor trecho de todas elas, na minha opinião, foi esse:

"Muitas vezes dissemos que nos amar é nosso destino, que nos amamos em vidas anteriores e continuaremos nos encontrando em vidas futuras. Ou talvez não haja passado nem futuro, e tudo aconteça simultaneamente nas infinitas dimensões do universo. Nesse caso, estamos juntos constantemente, para sempre." (página 290)

Conhecer a autora foi uma grata surpresa. Realmente surpreendente para mim que, de início, não esperava muito do livro. Experiência sensacional, emocionante e delicada. Recomendo muito! Fica a dica!!

Beijos e não se esqueçam do sorteio de aniversário do blog!!! Clique aqui e veja como participar!!!