Hoje, 21/12/15, decidi começar a escrever sobre minhas leituras. Sempre gostei de ler mas, após o nascimento do meu filho, que hoje está com 6 anos, deixei este hábito de lado.
Há aproximadamente 1 ano retornei ao mundo dos livros. Uma vontade enorme tomou conta de mim quando comecei a observar com quanta paixão duas amigas minhas liam vários livros, um em seguida do outro, postando suas opiniões no Facebook, deixando transparecer toda emoção, decepção ou alegrias quando chegavam ao seu final (estou pensando em convidá-las a serem colaboradoras deste blog).
Não esperem resenhas elaboradas pois sou engenheira e meu forte não é a escrita, mas vou me esforçar ao máximo para não escrever besteiras...risos...
O livro que iniciou esse meu "retorno" à vida literária foi O RESGATE, de Nicolas Sparks. Confesso que nunca tinha lido nenhum título do autor e quis começar com ele porque era o novo lançamento de Sparks naquela ocasião e a mulherada delirava, e chorava, e se esperneava com os livros dele (isso mesmo, fui maria-vai-com-as-outras). Vamos à sinopse:

“Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro. Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir – o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração. Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos.”

Não vou conseguir escrever com muitos detalhes sobre o livro pois já faz mais de 1 ano que li, mas lembro de algumas impressões que ele me deixou.

O amor incondicional de Denise pelo seu filho, Kyle, que apresenta uma deficiência de linguagem e não consegue se comunicar com as pessoas. Ela é totalmente dedicada ao filho, e é a responsável por seu desenvolvimento nesse sentido. Mudou sua vida por causa dele pois, por ser pequeno (Kyle tem 4 anos) precisa de muitos cuidados e se sente frustrada com essa situação pois abriu mão de sua vida e voltou a morar em sua cidade natal.

A dedicação de Taylor, que é um bombeiro voluntário, possui alguns dramas em sua vida, e se desdobra quando o assunto é a segurança das pessoas.

Por causa de um acidente de carro, as vidas dos dois personagens se cruzam e Denise aposta todas as suas fichas em Taylor para encontrar seu filho, que desapareceu.

Lembro que há bastante tensão, suspense e emoção ao desenrolar da história. E foi um ótimo reinício ao mundo dos livros.

Bem, o início do blog será uma tentativa de fazer postagens com o que lembro dos livros. No momento estou lendo "A Sorte do Agora", de Matthew Quick (autor de "O Lado Bom da Vida" que eu não li) e "As Vantagens de Ser Invisível", de Stephen Chbosky que, quando terminar, farei postagens "no calor das emoções do término de um livro", o que acredito que ficará mais interessante...

2 Comentários

  1. Aí Reh! Fiquei muito feliz com a sua iniciativa de criar um blog! Vou sempre passar por aqui pra fuçar! Parabéns ;)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Caca! Adorei vc ter passado aqui... bjs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...